Computador

[Computador] [twocolumns]

Xbox

[Xbox] [twocolumns]

PlayStation

[PlayStation] [twocolumns]

Nintendo

[Nintendo] [twocolumns]

Notícias

[Notícias] [twocolumns]

Downloads

[Downloads] [grids]

Presidente da Nintendo afirma que Miitomo e NX podem superar as vendas do DS e do Wii

Mesmo depois de a Nintendo deixar a lista de 100 maiores marcas do mundo, Tatsumi Kimishina, presidente da empresa ainda parece otimista: além de afirmar que o Nintendo NX iria mudar a vida de quem joga videogame, ele deu previsões ousadas sobre as vendas do sucessor do Wii U.

Em uma entrevista ao jornal Nikkei reproduzida pelo site Kotaku, Kimishima disse ver potencial para "obter o maior lucro de todos os tempos" nos próximos três anos. "Eu não acho que o período de vendas do Wii e do DS seja o nosso teto", afirmou.

O executivo também falou sobre estratégias específicas que o deixaram confiante em relação ao futuro da Nintendo. Apesar de não falar muito sobre o NX, Kimishima disse que o novo console vai trazer ao jogador "uma experiência completamente nova". Ele também falou sobre como traduzir o aplicativo de celular Miitomo para outros idiomas vai ajudar a aumentar o número de usuários registrados. "Se nós traduzirmos para oito línguas, podemos expandir o aplicativo para mais de 100 países. Eu quero fazer isso o mais cedo possível, porque o nosso objetivo é aumentar o número de membros no My Nintendo", ele afirmou, sobre o novo programa de fidelidade da empresa. "Seria bom se nós alcançássemos uma meta de cem ou duzentos milhões de membros."

Anteriormente, os executivos da Nintendo afirmaram que as ofertas de jogos mobile seriam usadas para promover o hardware do novo console e seus jogos -- o que ficaria bem mais fácil com esse crescimento no número de usuários registrados que eles pretendem conseguir. Kimishima também explicou que as microtransações em Miitomo serão voltadas para compra de novas roupas para seu Mii.
Postar um comentário
  • Blogger Comentar usando Blogger
  • Facebook Comentar usando Facebook
  • Disqus Comentar usando Disqus

Nenhum comentário :